Cartografia Social dos Povos de Terreiro de Paulo Afonso-BA

Instituição Financiadora

Aldir Blanc Paulo Afonso

Objetivo

  • Identificar os terreiros existentes no Município de Paulo Afonso, com mapeamento e Compreender a dinâmica do candomblé e umbanda no sertão baiano; 
  • Identificar possíveis problemas e ameaças que passam os povos de terreiro do município; 
  • Coletar dados para formulação e implementação de políticas públicas. – A cartilha poderá ser utilizada nas Escolas como material didático para ensino da História da Cultura Afro-brasileira e Indígena, especialmente nas disciplinas de História, Geografia e Biologia. 
  • Difundir informações sobre povos de terreiro de Paulo Afonso entre alunos da rede municipal, pois o conhecimento reduz a intolerância e apoiará novas gerações com cultura de respeito.

Justificativa

Os terreiros são territórios mágicos do povo negro. Como diria o consagrado Roger Bastide em “Candomblés da Bahia”, uma recriação da África. São fundamentais para a manutenção da cultura africana, que no Brasil entrou em contato e se engrandeceu com a cultura dos povos originários, os indígenas. Esta cultura deve ser protegida, nos termos do artigo 216 da Constituição Federal e mais especificamente do artigo 215 da Constituição do Estado da Bahia, que estabelece o dever do Estado de inventariar e proteger os bens de valor cultural, os monumentos e flora dos povos de terreiro, devendo sua identificação ser feita pelos próprios terreiros.

Atividade

Visitas e elaboração de mapa com apresentação em escola pública de Paulo Afonso

Parceria/ Duração

SABEH,

Terreiros de candomblé e umbanda de Paulo Afonso,

Nova Cartografia Social da Bacia do São Francisco,

ACBANTU.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.